CONCURSO

(Re)Consolidando a Fundação Iberê Camargo no Cenário de Porto Alegre

Os egressos do curso de Arquitetura e Urbanismo Ulbra Torres, formados em 2017/2, Christoffer Costa e Silva da Rosa, Eloisa Hamanaka Brun e Gabriel Henrique Cazuiuqui Brun, juntamente com a aluna do curso Natália Jacoby Ulrich, foram os vencedores do concurso para estudantes e recém-formados em arquitetura e urbanismo (Re)Consolidando a Fundação Iberê Camargo no Cenário de Porto Alegre, em evento celebrado no dia 1º de setembro de 2018, no auditório da Ulbra Torres.

Imagem 4.jpeg
ENTREGA - Concurso I - Coletivo Arquitetura.jpg

Sendo o primeiro concurso organizado pelo Minimum, de Porto Alegre, foi aproveitada a ocasião da comemoração dos 10 anos de inauguração do projeto do arquiteto português Álvaro Siza, na capital gaúcha, em 30 de maio de 2008. A proposta do concurso era fomentar ideias dos participantes ao propor uma intervenção de tema livre, no espaço em frente à Fundação Iberê Camargo, com a premissa de criar movimento e animação, além de atividades, ao entorno imediato durante todos os dias da semana. A ideia era conectar a orla do Guaíba à Fundação por meio de uma arquitetura singular, destacando-se na paisagem porto-alegrense. Com os alunos da Ulbra Torres em primeiro lugar, o segundo lugar foi conquistado pelo Studio Zenital, o terceiro pelo Poente, quarto por Sen5es e quinto por Duas.

A proposta apresentada pela equipe partiu da sensibilidade dos autores em identificar uma demanda latente no local pela população, identificando os usos distintos em dois lugares diferentes, formalmente segregados. Na Fundação Iberê Camargo, a área externa é utilizada como espaço de espera e contemplação, enquanto na orla, a ciclovia e a calçada funcionam como passagem e, nos espaços disponíveis, permanência. A partir desta análise, foram delineadas as estratégias projetuais em quatro dimensões interventivas:

  1. Conectar, propondo uma intervenção de traffic calming na via de trânsito rápido com a intenção de permitir uma segura conexão peatonal entre a Fundação Iberê Camargo e a orla do Lago Guaíba;
  2. Setorizar as áreas de circulação, contemplação e de bar e sanitários afim de manter a relação e integração entre os espaços, mantendo o protagonismo da edificação do museu;
  3. Preservar os usos dos espaços preexistentes, como a ciclovia, os espaços de passeio e de contemplação, promovendo aproximação dos usuários da fundação com os usuários da orla por meio de escadas e patamares que podem ser utilizados como arquibancadas;
  4. Qualificar o ambiente disponível, integrando de maneira eficiente os espaços da fundação e da orla ao circuito de lazer de Porto Alegre.

 

lustrando de maneira muito eficiente, a prancha apresentada pelos alunos da Ulbra Torres demonstra o crescente domínio conceitual e projetual das novas gerações que estão diplomando-se nesta Universidade. A coordenação e o corpo docente do curso de Arquitetura e Urbanismo receberam a notícia da premiação com muita satisfação e orgulho, consolidando a certeza de que os egressos estão se formando com cada vez mais competência e profissionalismo. O curso parabeniza, portanto, os premiados, e regozija-se em saber que a sólida formação de qualidade está gerando frutos positivos na comunidade onde está inserida.

Imagem 3.png
Imagem 2.png
Imagem 1.png

Fonte:                                 Blog da Arquitetura e Urbanismo Ulbra - Torres                      Archidata                Minimum br